Blog - Últimas notícias

“Não iremos tolerar a entrega do SUS para a iniciativa privada”, disse Pigatto em cerimônia que reconduziu Carlos Lula à presidência do Conass

O secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, tomou posse na tarde desta quarta (28/04) no cargo de presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Reconduzido ao posto para o mandato até 2022, Lula reforçou a necessidade do diálogo entre as três esferas do governo. O esforço, disse, é essencial para encontrar alternativas que conduzam o país a garantir comida na mesa, um sistema público de saúde forte e qualidade de vida para seus habitantes.

Na cerimônia, realizada na sede do Conass com a presença de Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS); do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga; da representante no Brasil da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Socorro Gross; do governador do Maranhão, Flávio Dino, dentre outras autoridades. Lula lembrou das quase 400 mil vidas perdidas durante a pandemia, das filas de acesso para Unidades de Terapia Intensiva, da falta de medicamentos e do sofrimento que se tornou parte do cotidiano no país, em virtude da pandemia.

O presidente do Conass observou que, em meio a este cenário, nunca foi tão importante baixar as armas, defender a vida e o Sistema Único de Saúde (SUS). “Não há caminho diferente. A defesa do SUS deve ser sistemática. Sem ele, a tragédia seria ainda maior”. Em seu discurso, Lula destacou a importância da cooperação interfederativa e a busca por saídas justas. “O Conass precisa ser um polo de integração de diferentes experiências de gestão de saúde pública. Todos os dias, nos deparamos com exemplos de busca incessante de melhorias. É preciso integrar essas experiências, torná-las replicáveis, algo que requer atitude pró-ativa, sobretudo em meio a movimentos de desmonte do SUS”

O presidente do CNS, Fernando Pigatto, fez um apelo semelhante. Disse ser primordial defender o SUS. “A humanidade está passando por um momento difícil. Conselhos participativos e gestões públicas têm responsabilidades a cumprir. Nós não iremos tolerar a entrega do SUS para a iniciativa privada. Precisamos fortalecer o SUS e não sucateá-lo. Foram muitas omissões do governo durante essa pandemia. Sabemos quem está conduzindo nosso país ao caos”, disse.

O  ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que antes da pandemia, “o SUS já padecia”. Segundo ele, “já vivíamos com hospitais lotados, falta de vagas nas UTIs, sem profissionais de saúde em número suficiente. O SUS convive com uma saúde suplementar onde se assististe uma concentração maior empresarial e hipossuficiência dos beneficiários. Esse era o contexto vigente quando o mundo foi desafiado pela Covid-19”, justificou. “Precisamos nos unir para enfrentar nosso único inimigo: o vírus. A ferramenta é o SUS”, completou.

Durante o evento, Lula citou o escritor colombiano Gabriel Garcia Márquez, o livro Romeu e Julieta, homenageou o ex-ministro Adib Jatene, o secretário executivo do Conass, Jurandi Frutuoso e Fernando Cupertino, assessor especial do Conass.

O governador do Maranhão, Flávio Dino, destacou a importância do SUS. “Já conhecíamos suas virtudes relacionadas ao acesso da população e relacionadas à eficiência”, disse. Qualidades, completou, durante muito tempo negadas por determinados setores. “O sistema público é insubstituível”, afirmou. Para o governador do Maranhão, é essencial combater qualquer tentativa de reduzir ou substituir o alcance do SUS, por exemplo, com a contratação de vouchers no sistema privado.

O presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Willames Freire, destacou a condução equilibrada de Carlos Lula à frente do Conass, durante o mandato de 2020-2021. A representante da Opas, Socorro Gross, observou que, durante a pandemia, a cooperação com o Conass estreitou-se e foi adaptada para novas necessidades. “Na pandemia, encontramos caminhos para trabalho conjunto. A Opas vai mudar sempre que o país precisar. Estamos aqui para o que a população precisar”.

Assista à cerimônia na íntegra

Confira abaixo a composição da Diretoria Conass 2021/2022

Presidente

Carlos Eduardo de Oliveira Lula (SES/MA)

Vice-Presidentes

Região Norte – Juan Mendes da Silva – SES/AP

Região Nordeste – André Longo Araújo de Melo – SES/PE

Região Sudeste – Nésio Fernandes de Medeiros Júnior – SES/ES

Região Sul – Carlos Alberto Gebrim Preto – SES/PR

Região Centro Oeste – Ismael Alexandrino Júnior – SES/GO

Comissão Fiscal Titulares

Geraldo Resende Pereira – SES/MS (titular)

Fernando Rodrigues Máximo – SES/RO (titular)

Marcellus José Barroso Campêlo – SES/AM (titular)

Cipriano Maia de Vasconcelos – SES/RN (suplente)

Mércia Simone Feitosa de Souza – SES/SE (suplente)

Vago

Representantes do Conass na Agência Nacional de Saúde Suplementar

Luiz Edgar Leão Tolini – SES/TO (titular)

Fábio Baccheretti Vitor – SES/MG (suplente)

Representantes do Conass no Conselho Consultivo da Anvisa

Fábio Vilas Boas Pinto – SES/BA (titular)

Arita Gilda Hübner Bergmann – SES/RS (suplente)

Secretário Executivo

Jurandi Frutuoso

Fonte: Ascom CNS com informações de Ascom Conass

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


O #susconecta surgiu justamente do desafio de dar uma resposta consistente a essas perguntas. Direcionado a gestores, profissionais, professores, estudantes, pesquisadores e usuários do SUS, o #susconecta reúne conteúdos de diversas plataformas virtuais e potencializa a integração delas por meio de um acesso único.

Desenvolvido pelo Conselho Nacional de Saúde – CNS.

Site mantido pela AWEB MKT.